DEUSES EGÍPCIOS

Os deuses têm muito em comum com os homens: podem nascer, envelhecer, morrer:

possuem um corpo que deve ser alimentado, um nome, sentimentos.

No entanto, estes aspectos muito humanos escondem uma natureza excepcional:

 seu corpo, composto de matérias preciosas, é dotado de um poder de transformação, suas lágrimas podem dar nascimento a seres ou minerais.

Os poderes dos deuses são sempre comparados a algumas propriedades dos elementos da natureza ou dos animais, o que dá lugar a representações híbridas às vezes espantosas.

Para representar os deuses, todas as combinações são possíveis:

 divinidades totalmente humanas, deuses inteiramente animais,

com corpo de homem e cabeça de animal, com o animal inteiro no lugar da cabeça (o escaravelho, por exemplo) ou com cabeça humana.

A esfinge, imagem do deus-sol e do rei, é um leão com cabeça humana.

Há animais comuns a muitas divindades (o falcão, o abutre, a leoa)

e outros que são característicos de apenas uma (ibis de Thot, o escaravelho de Khepri).

 
Os egípcios mumificavam e enterravam seus animais domésticos.

Sobretudo em uma data relativamente tardia, no decorrer do 1° milênio A.C.

os egípcios sacrificavam animais para mumificá-los e amontoá-los aos milhares em cemitérios especiais.

São, provavelmente, ex-votos que os devotos compraram dos sacerdotes para oferecer a seu deus seu animal preferido.

O culto dos touros sagrados é muito mais antigo: um animal único torna-se uma manifestação terrestre do deus.

Ele tem direito a um enterro com grandes pompas.

Relacionarei alguns nomes dos deuses egípcios, mas escreverei mais detalhadamente sobre cada um, nos posts do site.

Aqui estão eles:

Isis, Meretseger, Bés, Amenófis, Sekhmet, Thot, Neith, Ptah, Hórus, Hator, Neftis, Anubis, Maat, Seth, Osiris, Amon-Rá e outros.

 

 

Index
 

Design by Jana Saucedo®

Copyright© 2009 by Jana Saucedo

Todos os direitos reservados.